sábado, 31 de julho de 2010

Até que ponto a distância não impede

São duas horas da manhã, coração acelerado, ela não esperava que o tempo passasse tão depressa, correndo e imperdoável. A noite era a última em que ela se deitaria na sua cama olharia para o teto e visse estrelas, ela atravessava o concreto, ou então ia se deitar no chão do quintal. Sem cobertas, no chão frio e úmido ela contava estrelas, jura de pé junto que pode enxergar mais do que telescópios. Ela estudou o caminho das estrelas, pra que ela nunca se perdesse longe dali, soube dar nome e localização a cada uma delas.
Naquela noite as horas passaram lentas, vagas e vazias, ela deitada na cama do quarto com a mala fechada e o passaporte em mãos. O que ela não contava é que em uma casa não muito longe dali alguém sofria junto com ela, porque jamais esperou que seria pra valer, ele a ouviu falar da tal viajem, mas nunca achou que ela chegaria tão já, num momento tão bom como era o agora.
Amanheceu o novo dia, com ele trouxe as lágrimas de alegria porque o bom filho um dia a casa torna não pretendia voltar e em abraços meio que sem sentimento, partimos rumo ao aeroporto. No caminho eu não hesitei em nenhum momento, segurei-lhe forte a mão e com um olhar consolador eu quis dizer "está tudo bem, vai ficar" esta foi mais uma das mentiras que eu me pus a contar, não seria covarde de estragar uma troca de olhares tão linda por uma mísera verdade.
No portão de embarque ouço a primeira chamada do meu voou, olhos atentos esperando de mim uma reação imediata, já que eu era aquela que fazia o momento acontecer. Nesse dia não. Naquele momento eu me rendi as lágrimas e deixei o momento escapar, meus amigos viram meu ato de entrega e de quase desistência, tomaram rápida a atitude de me acolher em seus braços, tornando distante a idéia de que o amor se rendia somente a presença.
Se dirigimos então ao portão de embarque, e fui me despedindo de cada um com um caloroso abraço, um sorriso que se via a quilômetros dali. Nele não, nele eu esperava um beijo caloroso, o final de filme, a cena explicita e proibida. Não, foi um simples abraço, como se ele tivesse a total convicção de que eu eu voltaria ele estava certo eu jamais o abandonaria, mas aquele momento foi o único em que eu me vi incapaz de reagir, de criar o momento, porque o momento era aquele e já estava criado e não me restava outra alternativa a não ser vive-lo e aproveita-lo porque ele jamais se repetiria.

O avião decolou..E eu jamais voltei.

14 comentários:

  1. Despedidas são horríveis :/
    ainda mais quando se despede de alguém que quer tanto quanto você a aproximidade.
    http://chasquento.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Esse final de texto me lembrou uma musica da Dani carlos, - Vc viajou e esqueceu de me cobrar alguma fidelidade...no caso do texto, voce viajou e ele disperdiçou o que poderia ser uma razão pra voltar...
    Fiquei feliz por ela/você não ter voltado, seria muito previsivel e coisas previsiveis são chatas...ahsuahu...Adorei o finall!
    Ahh! vc disse q sempre mentee...haushaush...Eu tmb!

    ResponderExcluir
  3. - Muito bom. Não consegui ler tudo pois já passei por momentos assim. E me deixam triste ''/

    AbçS
    ___
    http://nolimitedamatematica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. caramba!
    esse texto é seu mesmo?!
    parabens, muito bom, de verdade!
    parece uma história real!
    :D

    ResponderExcluir
  5. Poxaa muito lindo seu texto !
    Já passei por isso com uma historia um pouco difente mas parabens mesmo,belas palavras = )

    ResponderExcluir
  6. me encantou a forma como você encaixa as palavras, me parece extremamente sincero, meus parabéns mesmo

    ResponderExcluir
  7. apesar de ser triste muita gente já passou por isso ... muito bom texto

    ResponderExcluir
  8. Despedidas são tão dolorosas.

    ResponderExcluir
  9. vlh, MUITO lindo seu texto, sério .. passei por um momento assim a alguns dias, só não era em um aeroporto.. mas super igual a história :/, parabéns pelo seu blog e seus textos ! *-*

    ResponderExcluir
  10. A história é linda...

    porém...

    você me confundiu um pouco: comecei lendo na terceira pessoa e terminei na primeira. fica atenta! vc tem belos textos!

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Tenho uma proposta para seu blog que acredito ser relevante para você.

    Caso haja interesse, entre em contato!


    Atenciosamente,
    Cristiano
    contato@webreside.net

    ResponderExcluir
  12. Olá xara rsrs
    =] linda historia
    e triste tbm =/
    gostei do blog
    te add nos meus favoritos
    da uma passadinha no meu blog
    e tera uma surpresa que ira gostar
    hehe

    bjos
    Leticia

    http://novalexandrianet.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi mocinha bonita.. houve um erro com meu banner o servidor tirou do ar tive que fazer outro... entao como somos parceiros vim aki avisar vc para pegar o novo banner de parceiros la no blog...

    bjao

    ResponderExcluir

Pode ler, pensar. Mas vamos comentar.